Agustina Bessa Luís

Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa, nasceu na freguesia de Real, concelho de Amarante, a 15 de outubro de 1922. Filha de Artur Teixeira Bessa e de Laura Jurado Ferreira, demonstrou desde cedo uma apurada sensibilidade.

Notável escritora de fino recorte, tem-nos enriquecido com obras soberbas ao nível do romance, teatro, na televisão e, mais recentemente, no cinema (onde trabalhou com o realizador Manuel Oliveira).

Colaborou com diversos jornais e revistas dos quais se destacam: Diário de Notícias, O Século, Diário de Lisboa, Diário Popular, Diário do Norte, Jornal de Notícias, O Comércio do Porto, Paragone (Florença), Eco (Bogotá - Colômbia), Jornal de Letras e Artes. No ano de 1953 ganha o prémio Delfim Guimarães com o romance "A Sibila" e, em 1954, com o mesmo romance, obteve o Prémio Eça de Queiróz.

Representou Portugal no Rencontre de Lourmarin, realizado de 8 a 13 de julho de 1959, em Aix-en-Provence, sob o patrocínio da Faculté des Lettres et Sciences Humaines e em 1962 foi o primeiro membro português do 1º Conselho Diretor da Comunidade Europeia de Escritores. A convite de Santana Lopes, na altura secretário de Estado da Cultura, foi diretora do Teatro Nacional D. Maria II e fez parte da Fundação de Serralves. Foi, ainda, diretora do "Primeiro de janeiro", cargo que abandonou por incompatibilidade com a administração.

Em 2004 foi contemplada com o Prémio Camões.


Alguma Bibliografia:

"Mundo Fechado", 1948
"Os Super-Homens", 1950
"Contos Impopulares", 1951-54
"A Sibila", 1953-54
"A Muralha", 1957
"O Susto", 1958
"O Manto", 1963
"O Sermão do Fogo", 1963
"As Relações Humanas", 1963
"As Fúrias", 1977
"Conversações com Dimitri e outras fantasias", 1979
"Longos dias têm cem anos", 1982
"Os meninos de ouro", 1983
"Um bicho da terra", 1984
"A bela portuguesa", 1986
"A corte do norte", 1987
"Eugénia e Silvina", 1989