Eduardo Teixeira Pinto

Eduardo da Costa Teixeira Pinto nasceu na freguesia de S. Gonçalo, Amarante, em 1933.

Começou a tirar as suas primeiras fotografias profissionais em 1950, tornando-se expositor desde 1953 em vários salões de fotografia, nos cinco continentes.

Foi membro ativo de diversas comunidades de fotógrafos, nomeadamente “Associação Fotográfica do Porto”, “Grupo Câmara” (Coimbra) e da Associação Fotográfica do Sul (Évora).

Herdou do seu pai – também fotógrafo – o prazer de fotografar. A sua longa experiência de toda uma vida e o seu olhar poético sobre a realidade fizeram de si um dos melhores e mais galardoado fotógrafos portugueses do século XX.

A sua obra aborda diversos temas, com destaque para a Natureza e a figura humana amarantinas, que tão bem soube conciliar.

Com fotografias com “Rodopio”, “Igreja de S. Gonçalo”, “ De Regresso", "Tema de Pintores”, “Matinal” e “Quietude”, entre outras, obteve inúmeros prémios em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente o Grande Prémio de Camões (1960) – uma das mais altas distinções a nível nacional.

Falecido em 2009, Eduardo Teixeira Pinto deixou um espólio fotográfico de valor incalculável de que faz também parte uma vasta coleção de máquinas fotográficas.