Manuel Monterroso

Decorria o ano de 1876, quando, na freguesia da Lomba, nascia uma criança de nome Manuel Aníbal da Costa Monterroso, que desde a infância revelou uma extraordinária vocação para o desenho. Talento que foi desenvolvendo e aperfeiçoando ao longo da vida, sem o auxílio de mestres ou frequência académica.

Fez os seus estudos no Porto, concluindo em 1902, na antiga Escola Médico-Cirúrgica, o curso de Medicina. E foi precisamente na época de estudante que principiou a sua colaboração com A Paródia, de Rafael Bordallo, com quem manteve uma estreita relação de amizade. 

Graças a um intenso labor artístico, presenteou com obras suas quase todas as publicações ilustradas da época, das quais se destacam: Tauromaquia Alegre, de Guedes Oliveira, em 1912; Último Curso do Dr. Lebre, de Ângelo Vaz, em 1951; três anos depois Porto 1900, de Arnaldo Leite, entre outros. O seu talento não se limitou ao desenho, tendo modelado diversas jarras com figuras adaptadas e outras a imitar o antigo.

No biénio 1944-45 realizou diversas exposições conjuntas com Alfredo de Morais e Francisco Valença - amigos e companheiros de arte - na Sociedade de Belas Artes, no Salão Silva Porto e no Salão de Festas do Coliseu.

O percurso médico esteve desde sempre ligado à clínica e ao desempenho de cargos oficiais. Foi, durante 40 anos, Delegado de Saúde do Porto; médico-legista dos tribunais da cidade invicta e médico-especialista da Direção dos Caminhos de Ferro e do Estado, bem como da Assistência Nacional dos Tuberculosos. Foi, ainda, professor de Anatomia Artística da Escola de Belas Artes do Porto. 

Pelo seu trabalho, Manuel Monterroso foi agraciado com o título de Cavaleiro da Ordem de S. Tiago de Espanha, com a Medalha da Cruz Vermelha e do Instituto de Socorros a Náufragos. 

A 4 de junho de 1954, foi inaugurada, no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, uma sala com o seu nome. O espaço foi decorado com o retrato a óleo do caricaturista, da autoria do pintor João Augusto Ribeiro e com desenhos de numerosas personalidades amarantinas: Teixeira de Pascoaes, António Cândido, Acácio Lino, Augusto Casimiro, entre outros.