Paulino António Cabral

Paulino António Cabral, Abade de Jazente, nasceu na Quinta do Reguengo, na freguesia de S. Pedro da Lomba, a 6 de maio de 1720, sendo conhecido pela sua poesia sarcástica, crítica da sociedade da época em que viveu.

Filho de João Cabral Moreira e Ana Cerqueira Pereira, formou-se em Cánones pela Universidade de Coimbra, em 17 de junho de 1741. Em 1752, foi nomeado abade da freguesia de Jazente, onde viveu 30 anos (até 1783) e donde lhe veio o nome de Abade de Jazente, pelo qual é, geralmente, conhecido. Morreu em 20 de novembro de 1789, tendo sido sepultado na Igreja de S. Pedro, na cidade de Amarante, por ser irmão da confraria da invocação deste santo.

De entre os seus escritos, saliente-se:

"Romance hendecassylabo sobre o Terramoto fatal da cidade de Lisboa sucedido no primeiro de novembro de 1755" (1760).

"Poesias de Paulino Cabral de Vasconcelos - Abade de Jazente" (1786).

Alguns dos sonetos de Paulino António Cabral são documentos interessantes para a história de Amarante, como os relativos à derrocada da sua ponte medieval, em 10 de fevereiro de 1763.