Skip to main content

Teatro – “A FARSA DE INÊS PEREIRA” – TEATRO NACIONAL D. MARIA II

Teatro – “A FARSA DE INÊS PEREIRA” – TEATRO NACIONAL D. MARIA II
SINOPSE

Em 2023, passam 500 anos sobre a primeira apresentação de A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente. A peça foi escrita no auge da produção dramatúrgica do autor e tentava dar resposta às acusações de plágio, de que vinha sendo acusado. O relato cómico que dá conta das desventuras duma mulher da classe média portuguesa do século XVI, que desafia o poder familiar e a mentalidade medieval que dominava a sociedade quinhentista, seria depois considerada a mais perfeita das obras do “fundador do teatro português”, desfazendo assim dúvidas sobre o seu talento e originalidade.

Cinco séculos depois, Pedro Penim reescreve o original vicentino e transforma-o numa obra do nosso tempo. Este é o terceiro espetáculo de uma trilogia dedicada à família, iniciada com Pais & Filhos, em 2021, a que se seguiu Casa Portuguesa, em 2022. Na senda destascriações, A Farsa deInês Pereira deita o seu olharcáustico sobre alguns alicerces da sociedade contemporânea, nomeadamente o trabalho, a sexualidade e a célula familiar.

FICHA ARTÍSTICA

a partir de Gil Vicente

texto e encenação Pedro Penim
com Ana Tang, Bernardo de Lacerda, David Costa,Hugo van der Ding, João Abreu, Rita Blanco, Sandro Feliciano
cenografia e adereços Joana Sousa
figurinos Béhen
desenho de luz Daniel Worm d’Assumpção
desenho de som e sonoplastia Miguel Lucas Mendes
vídeo Jorge Jácome
assistência de encenação Joana Brito Silva
ponto Lídia Muñoz
produção TeatroNacional D. Maria II

NOTAS SUPLEMENTARES

Caso pretenda adquirir um bilhete de mobilidade reduzida e um de acompanhante deverá ser contactada a bilheteira do Cine-Teatro para que se possa reservar esses lugares juntos – 255 420 215

ENCENADOR

PEDRO PENIM

Encenador, ator e dramaturgo nascido em Lisboa a 5 de julho de 1975. O seu trabalho estende-se também à programação, às conferências, à tradução e ao ensino e já foi apresentado em diversos festivais e temporadas por todo o território português, bem como em diversos países da Europa, América do Sul, Ásia e Médio Oriente. É licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema e tem um mestrado em Gestão Cultural pelo ISCTE.

Fundou em 1995 o coletivo Teatro Praga, companhia emblemática da criação teatral portuguesa contemporânea, com a qual estreou mais de 50 espetáculos, incluindo criações originais, versões contemporâneas de autores clássicos como Turgueniev, Wedekind ou Shakespeare, teatro infantojuvenil e teatro de revista, tendo sido agraciado com diversos prémios. Em 2013 fundou o espaço cultural Rua das Gaivotas 6, em Lisboa, projeto essencial na capital, que acolhe criações de novos artistas, à margem do convencional.

O seu trabalho como encenador, em nome individual, parte habitualmente de aspetos biográficos e tenta complexificar diversos eixos do jogo entre a realidade e a ficção e hibridizar elementos factuais e teatrais. Como dramaturgo, assinou diversos textos representados em português, inglês, francês, italiano e hebraico, destacando-se as peças Doing It, Before, Tear Gas, Israel, Eurovision, a peça para rádio As Obras no Escuro e Pais & Filhos, que se estreou no Teatro Municipal São Luiz, em 2021.

Recentemente, a sua peça Before serviu de guião ao filme Past Perfect, de Jorge Jácome, integrado na seleção oficial da Berlinale 2019 e que foi recipiente de diversos prémiosinternacionais de cinema. É professor de teatro desde 2009, tendo lecionado na Escola Superior de Teatro e Cinema – Lisboa, Balleteatro e ESMAE – Porto, Conservatoire Jean Wiener – Paris, SP Escola de Teatro – São Paulo, CIFAS – Bruxelas e Salt Galata – Istambul.Foi autor de artigos de reflexão para publicações como o jornal Público, Cadernos do Rivoli, O Elogio do Espetador, entre outras. Foi também conferencista convidado no IETM Plennary Meeting (keynote speech “How to be emerging”) e jurado do reconhecido concurso multidisciplinar Danse Élargie (Théâtre de La Ville, Paris).

Fora do Teatro Praga trabalhou em diversos projetos internacionais de artistas e companhias como Tg Stan – Bélgica (Point Blank, 1998-2001), Tim Etchells / Ant Hampton – Reino Unido (The Quiet Volume, 2012), Forced Entertainment – Reino Unido (Quizoola!, 2014-2019) e Lola Arias- Argentina (Mis Documentos, 2020). Em 2021 foi nomeado Diretor Artístico do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, cargo que ocupa desde novembro desse ano.

Atualizado em 12/01/2024
This site is registered on wpml.org as a development site. Switch to a production site key to remove this banner.